segunda-feira, 18 de abril de 2011

DEC realiza enquete para escolher as “Sete Maravilhas” do município

 
Começa neste
sábado, 16, a votação para escolher as “Sete Maravilhas de São José do Rio
Pardo”. Quem quiser participar da enquete terá que acessar o site do Portal Rio
Pardo
www.portalriopardo.com,
e votar em uma das 15 fotos dos monumentos históricos da cidade. Os sete
lugares mais votados serão considerados as maravilhas. O projeto é do
Departamento de Esportes e Cultura (DEC) em parceria com o Portal Rio Pardo.
Esta
campanha faz parte das comemorações do aniversário da Ponte Metálica, que neste
ano fará 110 anos, e foi reerguida pelo escritor e engenheiro Euclides da
Cunha. O tema das comemorações será o mesmo utilizado na enquete. A data oficial
de aniversário é dia 18 de maio, mas o evento comemorativo será dia 22 no
recanto Euclidiano, às 20h.  No dia do
aniversário haverá comemoração com as creches municipais e um evento no Cristo
Redentor. Os horários ainda não foram definidos.
Estão entre os
pontos a serem votados na enquete: Igreja Matriz de São José, Ponte Euclides da
Cunha, Cristo Redentor, Igreja Santo Antônio, Igreja de São Roque, Centro
Cultural Ítalo Brasileiro, Mercado Cultural, Biblioteca Monteiro Lobato,
Pontilhão da Nestlé, Ilha São Pedro, Recanto Euclidiano, Gruta Nossa Senhora de
Lourdes, Museu Rio-Pardense Arsênio Frigo, Altar da Pátria e Estátuas das
Quatro Estações localizadas na Praça XV. 
De acordo
com a diretora de Cultura, Lúcia Vitto, o município tem muitas belezas e nem
sempre são reconhecidas. “Nós acostumamos com nossas belezas e quase não as
visitamos”.


domingo, 18 de julho de 2010

São José do Rio Pardo



Fundação 4 de abril de 1865 (145 anos)
Prefeito(a) João Luís Cunha
(2009 – 2012)
Municípios limítrofes Mococa, Tapiratiba, Casa Branca, Itobi, São Sebastião da Grama, Divinolândia, Caconde
Distância até a capital 264 km
Área 419,017 km²
População 53.281 hab. est. IBGE/2009[2]
Densidade 129,2 hab./km²
Altitude 676 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC-3
Indicadores
IDH 0,855 elevado PNUD/2000[3]
PIB R$ 1.390.367,7 IBGE/2005[4]
PIB per capita R$ 26.095,00 IBGE/2005[4]


São José do Rio Pardo é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º35'44" sul e a uma longitude 46º53'19" oeste, estando a uma altitude média de 676 metros. Sua população estimada em 2009 era de 53 281 habitantes. Além da sede, o município tem um distrito, Espírito Santo do Rio Peixe.
História



Fundação: 4 de abril de 1865 (145 anos)


Segundo Rodolfo José Del Guerra, historiador e cronista da cidade, em seu livro "São José do Rio Pardo: história que muitos fizeram", "(…)em 4 de abril de 1865 alguns fazendeiros se reuniram, traçando os planos para edificar a capela, primeira etapa para a criação da futura freguesia.

Em dezembro de 1868, a pedido de Antônio Marçal Nogueira de Barros, a Câmara Capitular de São Paulo concedeu licença para se benzer, na forma do ritual romano, depois de cercado, o cemitério do bairro de São José do Rio Pardo, distrito da freguesia do Espírito Santo do Rio do Peixe.

A 30 de maio de 1873, o Vigário Capitular do Bispado de São Paulo assinou documento autorizando bênção e celebração da missa e dos demais ofícios divinos na Capela de São José do Rio Pardo, filial da Matriz do Espírito Santo do Rio do Peixe. A primeira missa só foi celebrada em 19 de março de 1874.

A Capela Curada de São José foi elevada à categoria de freguesia em 14 de abril de 1880, pela Lei nº 70, da Assembleia Provincial. São José do Rio Pardo, desanexou-se da vila de Caconde, passando à de Casa Branca, constituindo-se em paróquia, confirmada pelo Bispo de São Paulo, em 1º de fevereiro de 1881.

Pela Lei nº 49, de 20 de março de 1885, a freguesia foi elevada à categoria de vila, vinte anos depois daquela primeira reunião dos fundadores. Mas outra lei determinava que sem o edifício da Casa de Câmara e Cadeia, construído às expensas dos respectivos povos, a Vila não poderia ser instalada.


Chegou 1889, o ano da Proclamação da República. Um acontecimento político, ocorrido em 11 de agosto, três meses antes da Proclamação, ressoou, projetando nacionalmente a Vila de São José do Rio Pardo. O episódio teve seu prelúdio em junho, quando membros da Sociedade Italiana XX de Setembro, infiltrada de republicanos, depois de uma festa de assentamento da pedra fundamental de sua sede, saíram às ruas, cantando a Marselhesa, defrontando-se com monarquistas. Houve agressão, confusão e envio de tropas. Dois meses passados, depois de aparente paz, a contenda recomeçou. Na noite de 10 de agosto, o Hotel Brasil, do republicano Ananias Barbosa, foi atacado pela polícia, depois de uma reunião e homenagens ao pregador republicano e líder, Francisco Glicério… A 11 de agosto de 1889, os republicanos (…) apoderaram-se do edifício da Casa da Câmara e Cadeia, que representava a força e a lei, hasteando, a bandeira revolucionária de Júlio Ribeiro, proclamando a República, sob o som da proibida Marselhesa."

No início do Século XX, São José do Rio Pardo acolheu grande quantidade de imigrantes, principalmente italianos. Também foi no município que Euclides da Cunha escreveu sua obra prima, Os Sertões, durante o período em que viveu e trabalhou no município, entre 1898 e 1901.
Euclides da Cunha



O escritor de Os Sertões redigiu o livro em 1902, juntamente com a construção da Ponte de São José do Rio Pardo. A chamada Casa de Zinco, feita de folhas de zinco, na qual Euclides escreveu e projetou suas obras está localizada à beira do rio Pardo e ao lado de sua ponte, protegida por uma casa de vidro. Devido à concepção d´Os Sertões nesse município, a Casa de Cultura Euclides da Cunha promove a Semana Euclidiana e a Maratona Euclidiana dos dias 9 a 15 de agosto; trata-se de eventos destinados a alunos das escolas do município e de outros.
Relevo



O ponto mais alto do município é o Morro da Antena (canal 2), com 1.050 metros de altitude. O município é cortado pelo Rio Pardo e por diversos córregos.
Clima


O clima de São José do Rio Pardo é tropical de altitude (Cwa). A temperatura máxima já registrada na cidade,] foi de 36,4°C em 26 de setembro de 2003, e a mínima foi de 0,5°C, em julho de 1994.[5] O clima da cidade é amenizado por sua localização geográfica no vale do Rio Pardo, entre as montanhas da Serra do Cervo (braço da Serra da Mantiqueira). A média das temperaturas máximas varia entre 25°C e 30°C durante o ano, e média das mínimas cai para próximo de 10°C no inverno. As chuvas se concentram na primavera e verão (entre outubro e março), sendo janeiro, em média, o mês mais chuvoso. O inverno é seco e apresenta grande amplitude térmica. Massas de ar polar oriundas da Antártida limpam o céu e derrubam a temperatura em alguns dias, podendo criar condições para a ocorrência de geadas. Julho é o mês menos chuvoso e mais frio.
Vegetação



A forma de vegetação predominante no município é a floresta estacional semidecidual, conhecida também como Mata Atlântica de Interior. A característica mais marcante desta floresta é que ela perde suas folhas na estação seca, e principalmente de maio a setembro. Outra característica importante desta região é a presença de uma transição do Cerrado para Floresta Estacional, com a presença de matas com características tanto de Cerrado quanto de Floresta (ecótono). Segundo último levantamento vegetacional realizado pelo Instituto Florestal do Estado de São Paulo, São José do Rio Pardo carece de áreas florestais de grande porte, sendo mais comuns no município pequenos fragmentos de vegetação em topos de morros e fundo de vales.
Fauna


Por estar localizado em uma área de transição vegetacional, São José do Rio Pardo abriga uma rica fauna. Já foram avistados na região exemplares de onça-parda (Puma concolor), lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) e cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), este último muito comum nas fazendas. Nas últimas décadas houve um declínio da população de peixes, provocado pelo barramento do Rio Pardo para geração de energia elétrica. Peixes introduzidos pelo homem, como a tilápia, predominam nos rios do município.
Conservação da biodiversidade


Apesar de estar inserido em uma área de grande importância biológica,[8] poucos estudos são feitos no município no sentido de estimar e conhecer a real biodiversidade local. Não existe nenhum parque ou área protegida para conservar os resquícios de mata existentes no município. A ONG Grupo Ecológico Nativerde atua em prol do meio ambiente no município.
Transportes


Rodovias


O município de São José do Rio Pardo é servido por duas rodovias, a SP-350 e a SP-207.

Aeroporto


Aeroclube de São José do Rio Pardo (ICAO: SIPA)

Educação


O município possui duas instituições de ensino superior: a Faculdade Euclides da Cunha (FEUC) e um campus da Universidade Paulista (UNIP), além de uma unidade da Escola Técnica Estadual (Etec) do Centro Paula Souza
Como chegar

Exibir mapa ampliado